8 de fevereiro de 2007

A INCRÍVEL FÓRMULA PARA CABELOS ONDULADOS

Sabe esses palpiteiros que não podem ver alguém fazendo alguma coisa que logo quer dar opinião? Pois é, o Joelmo era desse tipo. A família tolerava essa mania do patriarca, porque ele era um obstinado pelo trabalho e passava 12, as vezes 14 horas trabalhando, sem contar os bicos que fazia no final de semana. Um dia, no entanto, deu-se a tragédia: Joelmo quebrou o pé. Subira no telhado pra desentupir uma calha e caiu. O médico deu o veredicto fatal: dois meses de molho, no mínimo. Um problemão para a esposa, dona Marisa, que mantinha um pequeno salão de beleza na garagem de casa.

Os primeiros dias de licença foram tranqüilos. O palpiteiro passava o dia todo na cama, vendo TV, porém aborreceu-se com a programação vespertina que não falava em outra coisa senão as previsões para o futuro de Xuxa, Gugu Liberato e o time do Palmeiras e resolveu passar as tardes no salão da esposa, falando bobagem, dando pitaco nos cortes de cabelo e na vida dos outros.

Tudo andava tranqüilo, até que um dia, uma vizinha magricela, com cara de grão de bico, visitou o salão com a intenção de fazer uma aplicação de química para deixar os cabelos mais ondulados. Joelmo ficou maravilhado. Ele não sabia que existiam tratamentos químicos para cabelo. Tanto tempo casado com uma cabeleireira e ela nunca tinha lhe contado, justo a ele que entendia tanto desse assunto e se julgava até um expert em química. Isso era imperdoável! Foi lá ver a esposa preparar a fórmula e logo concluiu que estava tudo errado. Tinha que por mais amônia. Alertou a mulher, mas ela não lhe deu ouvidos.O palpiteiro já estava ficando angustiado quando o destino resolveu ajudá-lo em forma de uma inesperada dor de barriga que levou dona Marisa do salão, sem escala, direto para o banheiro. Foi a deixa para o palpiteiro tacar amônia no preparado do jeito que bem entendia.

Dona Marisa voltou e, sem saber que o marido havia adulterado a fórmula, fez a aplicação tranqüilamente. Não demorou nem um minuto para a vizinha se transformar num cruzamento de Cauby Peixoto com Vera Loyola. Deu um rolo danado. A mulher aos prantos ameaçou chamar a polícia e o escambau. Só se acalmou a base de litros de chá de maracujá e pedidos de desculpas.

Acabada a confusão, dona Marisa transtornada sentou-se ao lado do marido e ingênua, questionou:

- Não sei o que aconteceu... Eu fiz tudo direitinho...

E o marido malandro, respondeu firme:

- Pouca amônia! Eu falei pra você pôr mais, mas você não me escuta...

Um comentário:

Elyana disse...

hahahaha! ó, sem palpite no meu salão! :P