27 de abril de 2007

Conversa de Busão - O ator e seus duplos

Ponto de ônibus - Um mendigo, dois dentes na boca (um em cada lateral) com uma sacola cheia de badulaques e eu. Ele começa.

- Olhando esse livro que você tá carregando: "O ator e seus duplos", pensei que pode ser: "Jesus e seus discípulos", não é?
- É.
- É a mesma coisa, é tudo por ali, não é?
- É.
- Vou ver se um motorista desses daí me deixa ali no largo do Paissandú.
- Cê tá do lado errado, cara. Pro Centro você tem que pegar do outro lado.
- Do outro lado?
- É, aqui vai pra Zona norte. Tem que atravessar, ali. Mas vai pela passarela, hein! Pela avenida não dá.
- Minha cabeça não tá boa... Você é Evangélico?
- Não.
- Você é o quê?
- Judeu.
- Mas é temente a Deus?
- Tementão.
- Eu sou temente a Deus. Vou lá naquela igreja que tem no Paissandú e eles vão me resgatar. Isso aqui que você tá vendo (apontou pra ele e pro saco de badulaques) Você não vai ver mais.
- O Largo do Paissandú é do outro lado. Você tem que pegar naquele ponto ali. Atravessa pela passarela.
- Do outro lado?
- É.
- Ali, né?... Dá pra arrumar cinquenta centavos pra mim tomar uma cachaça, naquele boteco, lá?
- Toma... Mas atravessa na passarela, hein!

3 comentários:

Anderson disse...

Eu tbm tenho um talento especial pra atrair mendigos pra conversar comigo. Regras da atração?
Abs!

luiz lourenço disse...

Acho que conheço o interlocutor do mendigo. Muito bom! Ah, estou postando no 5 palavras.

Anônimo disse...

Nesses casos é melhor não atravessar pela passarela.