12 de dezembro de 2007

Conversa de busão - Esmalte Cintilante

Duas vendedoras conversam.

- Ai, só de pensar que estamos chegando na loja já me dá mau humor. Não agüento mais trabalhar naquele lugar.
- Por quê?
- Ah, a gente vê as coisas erradas e não pode falar nada, tem que fingir que não vê... Cê não sabe como isso me irrita.
- Não dá bola. A loja é sua?
- Não é questão disso, a questão é que eu não sou hipócrita. Chegou a vendedora nova e todo mundo fica babando em cima dela, só porque ela é sobrinha da patroa. Essas coisas me deixam louca.
- Mas a menina é tão boazinha...
- Boazinha nada, aquilo é uma víbora... Cê não viu ontem a estória do esmalte? Ela vendeu o esmalte opaco pra cliente falando que era cintilante e depois a patroa foi perguntar pra ela e ela disse que EU é quem tinha dito que aquele esmalte era cintilante. Pode?
- Mas eu vi você falar pra ela que, naquela prateleira, todos os esmaltes eram cintilantes.
- E eram, até mudarem tudo de lugar. A culpa é minha que aquela loja é uma bagunça?
- Não esquenta a cabeça com isso. Todo mundo erra...
- Tá certo, pode errar, mas botar a culpa em mim?

Nenhum comentário: