23 de outubro de 2012

Uma coisa que passa pela minha cabeça

Hoje saiu mais uma notícia sobre um sujeito que foi esfaqueado na cabeça e sobreviveu. Dois palmos de lâmina na cuca do cabra e nada, nenhuma sequela. Não sei se notaram mas, ultimamente,  tem aparecido várias materias sobre cabeças espetadas. Vergalhão, machado, faca Ginsu, sapato bico fino, enfim, todos os encontros de objetos perfurantes com cabeças ganham as páginas do jornais – desde que o dono da cabeça sobreviva, evidentemente. 

Todo dia uma nova imagem de raio-x de crânio com o objeto x atravessado de fora a fora, ilustra os sites de notícias e fico com a dúvida: por que o alarde? Esse tipo de fenômeno começou a acontecer agora? Temos uma nova geração de mutantes com tecidos cerebrais de alta capacidade regenerativa? Ou essa é a prova definitiva de que dá, sim, para levar uma vida numa boa totalmente sem miolo?

Curioso. Curioso.

2 comentários:

Cartas de Maroka... disse...

Ah se dá! kkk
Ótimo como sempre!
bj
Marilu

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- viver uma vida desmiolada sem reconhecimento de consequências... o que isso pode representar?