5 de março de 2013

COMO AS TRIPAS DO MENDIGO



Dois engravatados bebem cerveja.

- Cara, hoje eu me dei conta de uma coisa muito louca.
- O quê?
- Todo dia eu passo de baixo do viaduto Nove de Julho e, todo dia, no mesmo horário, vejo um mendigo cagando.
- Que merda… Boa cena pra se ver de manhã.
- Se fosse só isso, tudo bem, eu olhava pro outro lado, mas a coisa é mais grave.
- Mais grave?
- É, cara. Hoje eu me dei conta de que se o mendigo caga, no mesmo horário e eu passo por baixo do viaduto no mesmo horário, isso significa que minha vida funciona com as tripas de um mendigo.
- Filosófico isso.
- Filosófico não, epifânico! Tô pensando até em sair do emprego, mudar de cidade, sei lá, dar uma virada radical na minha vida.
- Relaxa, cara, mais cedo ou mais tarde a gente sempre se da conta do óbvio: somos todos o sólido resultado do trabalho árduo das tripas de um dorme-sujo.
- Cacete, isso parece frase de político nordestino.
- Político nordestino é boa!
- Nem vou tomar mais cerveja hoje. Vou atacar logo de destilado.
- Só não toma Underberg . Dá depressão.
- Nada, vou tomar é uma cachaça.
- 51?!
- 51!!!


Um comentário:

Gabriel Pasini disse...

Gostei da maneira como você estrutura o diálogo. Personagens bem ágeis! E sendo humorado, sem ser escrachado!
E como as ideias vão se desenvolvendo de maneira a fazer você pensar mesmo, que a vida funciona como as tripas de um mendingo! HAHAHAHA